top of page

Adjudicação Compulsória Extrajudicial: Entenda o Processo e Seus Benefícios




letras A R e G
Saiba os detalhes sobre a adjudicação compulsória extrajudicial e como ela pode te beneficiar.


Você já se viu numa situação em que comprou um imóvel parcelado, mas o vendedor se recusa a assinar a escritura pública após o pagamento completo? A adjudicação compulsória pode ser a solução para esse impasse. Se esse é o seu caso, ou se você quer saber mais sobre seus direitos ao adquirir um imóvel, está no lugar certo.


Provavelmente você já ouviu falar sobre isso, mas você realmente sabe o que é e como funciona esse processo? Neste artigo, iremos explorar em detalhes o processo de ajudicação extrajudicial compulsória, bem como os benefícios.


Ajudicação extrajudicial compulsória é um método eficaz de resolver disputas legais e evitar processos judiciais demorados. É uma alternativa mais rápida e econômica para as partes envolvidas, que desejam resolver suas diferenças de maneira ágil e eficiente. 


Então, fique conosco e descubra tudo o que você precisa saber sobre ajudicação extrajudicial compulsória e como ela pode beneficiar você.



Introdução à Adjudicação Extrajudicial Compulsória


A adjudicação extrajudicial compulsória é um instituto jurídico à disposição do comprador que visa garantir a transferência de propriedade de um imóvel, quando o vendedor não o queira fazer de maneira voluntária, sem a necessidade de recorrer ao Poder Judiciário. Ela se baseia no princípio da autonomia da vontade das partes, permitindo que, mediante o descumprimento de um contrato, a  parte possa requerer a transferência da propriedade do imóvel para si.


Compreensão do Processo de Adjudicação Extrajudicial Compulsória


Conforme dispões a  Lei 6.015/73:


Art. 216-B. Sem prejuízo da via jurisdicional, a adjudicação compulsória de imóvel objeto de promessa de venda ou de cessão poderá ser efetivada extrajudicialmente no serviço de registro de imóveis da situação do imóvel, nos termos deste artigo.


Assim sendo, a via extrajudicial é uma opção viável e vantajosa para a adjudicação compulsória. 


O processo de adjudicação extrajudicial compulsória inicia-se com a notificação extrajudicial do vendedor, informando-o sobre o descumprimento do contrato e concedendo-lhe um prazo para regularização. Caso o devedor não cumpra com suas obrigações, o comprador do poderá requerer a adjudicação do imóvel, que será realizada por meio de escritura pública lavrada em cartório.


Para que se dê início a este procedimento, é preciso que se tenha em mãos alguns documentos, como por exemplo:


  • Instrumento de promessa de compra e venda ou de cessão ou de sucessão, quando for o caso;

  • Prova do inadimplemento;

  • Ata notarial lavrada por tabelião de notas;

  • Certidões que demonstrem a inexistência de litígio envolvendo o contrato de promessa de compra e venda do imóvel objeto da adjudicação;

  • Comprovante do pagamento do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI).

Quem tem o direito de solicitar a adjudicação compulsória?


É importante destacar que o promitente vendedor também pode iniciar o processo judicial ou extrajudicial de adjudicação compulsória se a recusa for do promitente comprador.


Em conformidade com o artigo 216-B, § 1º, da Lei 6.015/73, têm legitimidade para iniciar a adjudicação compulsória:


  • O promitente comprador;

  • Os cessionários ou promitentes cessionários do comprador;

  • Os sucessores do promitente comprador;

  • O promitente vendedor.


É essencial ressaltar que, conforme a legislação mencionada, todos os legitimados devem ser representados por um advogado especializado, mesmo nos casos extrajudiciais.


Benefícios da Adjudicação Extrajudicial Compulsória


A adjudicação extrajudicial compulsória apresenta diversos benefícios, tais como a celeridade do procedimento, a economia de custos e a desburocratização em comparação com os processos judiciais tradicionais. Além disso, a adjudicação extrajudicial proporciona maior segurança jurídica às partes envolvidas, uma vez que o procedimento é realizado sob a supervisão de um tabelião.


Ademais, é preciso ressaltar que conforme o Art. 216-B, da Lei 6.015/73, é indispensável que o requerente esteja acompanhado por advogado especialista na área, que poderá direcioná-lo da forma correta, bem como a realizar todo o procedimento conforme os parâmetros legais estipulados. 


Principais Características da Adjudicação Extrajudicial Compulsória


Entre as principais características da adjudicação extrajudicial compulsória destacam-se a necessidade de prévia constituição em mora do vendedor, no sentido de que houve o cumprimento do contrato por parte do comprador, e não houve a transferência efetiva da propriedade do vendedor para o comprador, conforme estipulado em contrato de compra e venda. Além disso, a lavratura da escritura pública em cartório e a possibilidade de realização do procedimento acontecem de forma mais célere e menos onerosa do que a via judicial. 



Desafios Comuns na Adjudicação Extrajudicial Compulsória


Apesar das vantagens, a adjudicação extrajudicial compulsória também apresenta desafios, como a necessidade de comprovação do inadimplemento pelo devedor e a possibilidade de resistência por parte deste. Ademais, é importante ressaltar a importância de se contar com a assessoria jurídica de advogados especializados em direito imobiliário,  para garantir a eficácia do procedimento, evitando assim possíveis contestações futuras.

Comparação da Adjudicação Extrajudicial Compulsória com os Processos Jurídicos Tradicionais


Ao compararmos a adjudicação extrajudicial compulsória com os processos jurídicos tradicionais, observamos que a primeira apresenta vantagens significativas, tais como a celeridade, a economia de custos e a maior segurança jurídica. Enquanto os processos judiciais podem se arrastar por anos, a adjudicação extrajudicial permite que a transferência de propriedade seja realizada em questão de semanas, facilitando a vida das partes envolvidas.


Importância de Contar com um Advogado Especialista


Em casos de adjudicação compulsória, é fundamental contar com a orientação e representação de um advogado especializado em direito imobiliário. A complexidade do processo e a necessidade de interpretar corretamente a legislação vigente exigem conhecimento técnico específico, que somente um profissional qualificado pode oferecer.


Um advogado especializado será capaz de analisar a situação de forma detalhada, identificar os melhores argumentos jurídicos e orientar sobre os procedimentos adequados a serem adotados. Além disso, ele poderá representar o cliente em todas as etapas do processo, seja judicial ou extrajudicial, garantindo a defesa eficaz de seus direitos.


Outro aspecto importante é a garantia de segurança jurídica que um advogado especializado proporciona. Ele conhece as nuances da legislação e da jurisprudência relacionadas à adjudicação compulsória, o que permite evitar possíveis erros ou contestações futuras.


Em resumo, contar com um advogado especializado em direito imobiliário é essencial para garantir que o processo de adjudicação compulsória seja conduzido de forma eficiente, segura e em conformidade com a lei.


Conclusão


Diante da busca por soluções mais rápidas e eficientes para a resolução de conflitos, é possível afirmar que a adjudicação extrajudicial compulsória tende a se consolidar como uma alternativa cada vez mais viável e atrativa, contribuindo para a desjudicialização e a desburocratização do sistema jurídico.


A adoção de mecanismos extrajudiciais para a resolução de conflitos é uma tendência mundial, e a adjudicação extrajudicial compulsória está inserida nesse contexto, representando uma importante ferramenta para a efetivação de direitos e a pacificação social.


Caso tenha alguma dúvida ou precise de ajuda para realizar este procedimento, basta entrar em contato com um de nossos advogados clicando no botão abaixo!





Commentaires


bottom of page